EFEITO DA TERAPIA REIKE ASSOCIADA A UMA FREQUÊNCIA FLORAL

RESUMO

Esse estudo avaliou o efeito da terapia Reiki associada a um frequencial floral pela quantificação do fluxo energético dos meridianos de acupuntura utilizando o Ryodoraku. A variação energética dos 12 meridianos foi avaliada: inicial, após a aplicação do Reiki e após a aplicação do gel frequencial floral Consciencius. Foram selecionados 20 voluntários, informados sobre o termo livre e esclarecido para a participação em pesquisa e, após concordância, permaneciam 10 minutos em repouso, tinham aferidos medidas energéticas com Ryodoraku nos pontos referentes a cada meridiano principal bilateralmente: P9, CS7, C7, ID5, TA4, IG5, BP3, F3, R4, B65, VB40 e E42. Em seguida recebiam individualmente a aplicação da energia Reiki, por um grupo de 10 reikianos na posição central dos Chakras. Os terapeutas permaneciam sempre na mesma posição com aplicação contínua por 20 minutos. Ao término, nova aferição era realizada nos pontos citados. Em seguida o profissional dispensava 1g de gel Consciencius (Frequencial Floral) no dedo indicador do paciente e o instruía a espalhar e friccionar na região interna do antebraço, por 20 segundos. Nova aferição era realizada e constatou-se o aumento do valor médio em todos os participantes após a aplicação do Reiki, e diminuição após a aplicação do gel Consciencius. As alterações nos valores dos meridianos sugerem a influência da terapia Reiki e da Essência Vibracional Floral no fluxo energético dos meridianos, podendo-se concluir, considerando- se a metodologia aplicada, que as terapias frequenciais possuem potencial energético capaz de alterar o fluxo de energia em humanos.

INTRODUÇÃO

O Reiki é uma Terapia Complementar Integrativa que contribui para a redução dos níveis de estresse potencializando a cura física do indivíduo. Reconhecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) promove saúde e bem-estar agindo de forma integrada aos demais medicamentos com os objetivos de: reduzir sintomas e efeitos colaterais da quimioterapia e radioterapia; aumentar a sensação de bem-estar; melhorar a qualidade de vida; diminuir o medo, o estresse, a depressão e a ansiedade; promover melhor resposta do organismo aos diferentes tratamentos aos quais está exposto. Pesquisas recentes comprovam efeitos benéficos desta técnica, antes restrito às universidades orientais. Uma pesquisa na USP testando o tratamento Reiki em camundongos demonstrou melhora quanto à resposta imunológica (presença de glóbulos brancos e células imunológicas em dobro), além da capacidade de reconhecer e destruir células cancerígenas no grupo que recebia energização por impostação de mãos. Atualmente, equipes em todo o mundo analisam os efeitos do Reiki em seres humanos, e já apresentaram resultados positivos na qualidade de vida e diminuição de sintomas de ansiedade e depressão em pacientes que passaram por quimioterapia.
Devido aos resultados positivos, o Hospital Albert Einstein criou o programa “SAÚDE ALÉM DA CURA” para os pacientes que passam por tratamento contra o câncer. Além disso, os benefícios foram demonstrados por diversos estudos incluindo teses de mestrado e doutorado, como nas Universidades de Atlântica, do Estado do Rio de Janeiro e USP, demonstrando que a terapia Reiki é um complemento à medicina tradicional, não descartando a continuidade do tratamento médico convencional, e tendo como objetivo potencializar a melhores resultados e promover a qualidade de vida do paciente.
Atualmente, a utilização de frequenciais florais também tem demonstrado resultados positivos, e os mesmos têm sido utilizados com frequência entre profissionais de saúde, como o caso do Consciencius da linha de produtos da Fisioquântic. Assim, tendo em vista a eficácia do Reiki e das terapias frequenciais, esse trabalho teve o objetivo de avaliar o efeito da terapia vibracional através da variação energética dos 12 meridianos principais considerados na acupuntura, nas seguintes circunstâncias:

- Antes e após a aplicação da energia Reiki;

- Após a aplicação do gel floral Consciencius após o recebimento

de Reiki.

MATERIAL E MÉTODOS

OFoi avaliada a variação energética dos 12 meridianos principais nas seguintes circunstâncias: inicial, após a aplicação de energia Reiki e após a aplicação do gel Consciencius pós-recebimento de Reiki. Foram selecionados 20 voluntários, de ambos os sexos, com queixas de distúrbios de ansiedade, insônia e cefaleia, assistidos com terapias complementares no espaço holístico Quintessência de Ribeirão Preto, que tem como objetivo o atendimento ao publico. Os voluntários foram informados sobre o termo livre e esclarecidos para a participação em pesquisa e, após concordância, permaneceram 10 minutos em repouso e em seguida, um profissional experiente aferia medidas energéticas com Ryodoraku nos pontos referentes a cada meridiano principal bilateralmente: P9, CS7, C7, ID5, TA4, IG5, BP3, F3, R4, B65, VB40 e E42. Em seguida os voluntários recebiam individualmente a aplicação da energia Reiki, por um grupo de 10 reikianos que realizavam a interposição de mãos, sem contato, na posição central dos Chakras. Os terapeutas permaneciam sempre na mesma posição e a aplicação era contínua por um período de 20 minutos. Ao término, nova aferição era realizada com o aparelho Ryodoraku nos pontos citados. Em seguida o profissional dispensava 1g de gel Consciencius (Frequencial Floral) no dedo indicador do paciente e o instruía a espalhar e friccionar na região interna do antebraço, durante 20 segundos. Nova aferição era realizada nos mesmos pontos correspondentes a cada meridiano.

RESULTADOS E DISCUSSÃO

A compreensão holística aplicada ao diagnóstico e tratamento das doenças, tem transformado e modernizado a Medicina, e o reconhecimento das interações entre corpo e mente, bem como a maneira como as emoções e a personalidade são capazes de exercer impacto no funcionamento e saúde de cada célula, traz uma revolução para a concepção tradicional do binômio saúde-doença. Papel do estresse, e a maneira como lidamos com agentes estressores traz a noção crítica da impossibilidade de compreensão da enfermidade de forma isolada, obrigando-nos a contextualizar as vivências do indivíduo que dela padece e buscar estratégias para tratá-las de forma eficaz. A partir do século XX, o estudo de como o corpo responde a situações estressantes e a fisiologia do estresse trouxe-nos grande quantidade de dados fisiológicos, bioquímicos e moleculares que demonstram como emoção, características psicológicas, condições sociais e a forma como a sociedade recebe e convive com tais situações, são capazes de influenciar condições da bioquímica corporal, níveis de colesterol, saúde dos vasos sanguíneos, além da harmonia dos nossos sistemas digestório, circulatório, cardiovascular, nervoso, podem acometer qualquer órgão do corpo.
Muitas possibilidades se abrem para uma nova terapêutica, quando nela são incorporados os princípios e os fundamentos da Física Quântica. No domínio onde tudo é ao mesmo tempo onda e partícula, onde não existe nem tempo nem espaço e podem surgir do nada e desaparecer, a vibração motivacional para o funcionamento da célula pode se alterar, levando a novos padrões de funcionamento e reparação celular.
Tais fenômenos têm sido exaustivamente estudados em laboratório, como o espalhamento de fótons realizado por Arthur Compton e a difração do elétron, realizado por George Tohmson, dando abertura para o estudo e reforçando cientificamente a eficácia de terapias, antes consideradas alternativas como o Reiki. Já a utilização de frequências florais baseia-se nas noções descritas por estudiosos da antiguidade que usavam a natureza para a obtenção de produtos. Estes tinham sensibilidade intuitiva da desarmonia que afetava o indivíduo, e procuravam e encontravam na natureza plantas que utilizavam como medicamentos. No século XVI Samuel Hahnemann, no livro “O Organon da Arte de Curar”, relata que “Somente a força vital morbidamente afetada produz moléstias, de modo que os fenômenos mórbidos, perceptíveis aos nossos sentidos, expressam ao mesmo tempo toda a mudança interna, isto é, toda a perturbação mórbida do dinamismo interno”. Seguido por outros estudiosos como Rudolf Steiner na Antroposofia e Paracelsus, que descreve uma organização funcional, explicando o movimento da energia, sendo gerada no polo metabólico indo para o polo neurossensorial e neste gasto energético gerar a consciência, e passam pelo polo rítmico, onde o coração e os pulmões vibram em um ritmo adequado ao fluxo de energia, procuramos uma explicação para o efeito do gel floral Consciencius. Note-se que tanto na Homeopatia, como na Antroposofia, utilizam-se produtos para que a “energia” do substrato utilizado seja de origem mineral, vegetal ou animal e possa ser utilizada terapeuticamente no restabelecimento da energia afetada, o que justifica o efeito dos frequências florais, nesse caso da Terapia Floral.
Seguindo esses princípios no estudo descrito, usando o Reiki e Frequenciais Florais, a realização da análise estatística dos resultados demonstrou que todos os voluntários apresentaram alteração nos níveis energéticos nos meridianos principais. Pôde-se constatar que houve um aumento do valor médio em todos os participantes após a aplicação do Reiki, sendo esta diminuída após a aplicação do gel Consciencius.
Embora a Física Quântica aplicada à Medicina apresente- se como nova percepção de vida, saúde e doença, neste contexto, os organismos vivos configuram-se como sistemas quânticos abertos, com estrutura complexa possuindo uma renovação própria e configuração autoeducativa capaz de sincronizar suas partes interna e externamente. Hoje, a ciência é utilizada no estudo e desenvolvimento de terapias que atuam através de frequências energéticas muito sutis, permitindo-nos prescrever, com uma maior facilidade, atuando no terreno biológico individual de cada paciente a fim de promover o equilíbrio energético do organismo. Assim podemos concluir que o fluxo energético comprovado pela medicina tradicional chinesa, e o efeito real da energia manifesta pela imposição de mãos e essências frequenciais, semelhantemente aos achados descritos por Rudolf Steiner e Samuel Hahnemann, podem otimizar, quando bem aplicados, o equilíbrio em todos os campos energéticos que regem a vida.


CONCLUSÃO

Os resultados, frente à metodologia aplicada, sugerem a influência da terapia Reiki e da Essência Vibracional Floral em gel no fluxo energético dos meridianos, podendo- se concluir que as terapias frequenciais possuem potencial capaz de alterar o fluxo de energia em humanos.

REFERÊNCIAS

__. Tratamento homeopático da depressão: relato de série de casos/ Homeopathic treatment of depression: series of case report. Revista de Psiquiatria Clínica/ USP. Article in press. 2007.
BAJPAI, R. P. Quantum coherence of biophotons and living systems. Indian J Exp Biol, v. 41, p. 514-527, 2003.

BERTOLLI FILHO, C. Homeopatia e espiritismo: em torno do imaginário social. Revista de Homeopatia, v. 55, n. 3, p. 72-8, 1990.

GLAS, N. Os Temperamentos. São Paulo: Antroposófica, 1987.

PEDROSO, R. A., CELICH, K. L. S. Dor: Quinto sinal vital, um desafio para o cuidar em enfermagem. Texto Contexto Enferm, v. 15, n. 2, p. 270-6, 2006.

STEINER, R. Elementos fundamentais para uma ampliação da arte de curar. Segundo os conhecimentos da Ciência Espiritual. São Paulo: Antroposófica, 2001.

WOLFF, O. A imagem do homem como base da arte médica. Patologia e terapêutica. São Paulo: Ed. Resenha Universitária, 1978.